my life as crazy as it is
Segunda-feira, 18 de Abril de 2005
Surrender...I surrender
DSC01493.a.jpg


Estava a pensar em viver e nas pessoas...e na possibilidade.E de repente senti muito profundamente que queria afastar-me de quem mais gosto.
Senti tanta necessidade disso.

É absurdo.

Mas senti-o...mesmo.
Acredito que estou numa fase em que me devo afastar de quem realmente gosto.É estranho.Acho que é por querer que sejam felizes.
Quero mesmo que sejam felizes...

Sinto que estou como quem vem dar a uma praia...depois de se ter perdido no mar.Morrido afogada.Sinto a areia dura...frio e falta de ar e acordo a tossir,e a tremer.
O espaço é tão grande,tão avassalador...e o mar infinito.
Infinito como a minha sensação de rendição incondicional.Aquele vazio prêenche-me...rendo-me.Rendo-me.
Tudo isto me ultrapassa...o tamanho do céu e o frio nos pulmões fazem-me sentir pequena.É incondicional...não tem tamanho e sinto-o na pele,no meu corpo,no meu volume.Esvazio os meus pulmões...até ao limite.Aguento o impossível.Sustenho-me...e o tempo congela.Abranda....tudo se torna tão suave.Tão suave...

Rendo-me....rendo-me.Rendo-me...

Aware


publicado por aware às 23:37
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

Pedaços de papel e memórias
jorel.jpg


Ainda não quero dormir.
Recuso-me.

Passeio pelas memórias.Lembro-me de ter lido algures que as memórias são o que nos tornam únicos...que compõem a nossa identidade.
Lembro-me...lembro-me de tantas coisas,tantos pedaços de pessoas quando elas ainda viviam.Tantos sabores,tanto sol...palavras.
O quente de um coração.Irreprimível sorriso...lembro-me de ser pequena,lembro-me de como via o mundo.Ainda me lembro.E da solidão...ainda não pude esquecer.
Como poderia esquecer?
Penso no agora e em como se tornaram distintas essas realidades...mesmo sem eu querer.

Hoje não queria dormir.Prefreria ficar aqui no chão do meu quarto a fumar os meus sonhos...
Continuar a matar lentamente o que sinto,lentamente o que penso...muito lentamente a minha alma.Ou o que resta dela.
É tão saboroso termos a capacidade infinita de sofrer...e de viver.E de sorrir disso tudo.
De vez em quando olho nos olhos de uma pessoa mais velha e digo só o suficiente para ela saber que eu compreendi o que disse.Os seus olhos brilham com um sorriso sério.
De vez em quando sofrer sabe-me bem,e fecho os olhos num sorriso.E sabe-me bem viver e lembro-me do meu avô,o seu sorriso,a sua pele morena...Siddartha.
De vez em quando aparece alguém com quem é muito fácil falar...é raro e extremamente confortável.Penso que são essas coisas...tão efémeras,que têem valor.

Para quem está preso num circulo,de corpo,mente e alma....de vez em quando é bom fumar essas coisas lentamente.Sonhando com o momento em que o circulo se partirá...

Calmamente...rendo-me...ao sono.

aware


publicado por aware às 03:41
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

pesquisar
 
Abril 2005
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

11

17
19
23

25
28
30


posts recentes

Wisdom and Loneliness

hum...(coisas estúpidas)

Trapped

mais banalidades xP

Alma a arranhar

Cidade de mim

banalidades

Lua cheia

Oceano...

Sorriso sério

arquivos

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

Novembro 2004